Pedras Grandes: mãe registra B.O. depois de sua filha sofrer racismo em escola

485

A Secretaria de Estado da Educação (SED) esclareceu em nota que está ciente e tomando providências em relação à denúncia de racismo envolvendo estudantes de uma escola da região

O desabafo de uma mãe sobre um caso de racismo ocorrido dentro de uma escola estadual de Pedras Grandes, chamou a atenção nas redes sociais. Nesta segunda-feira (15), o Notisul trouxe o relato de Cristina Zelma Mônica, que contou que a filha teve as tranças cortadas por uma colega de classe. O fato ocorreu dentro da sala de aula e de acordo com a genitora nada foi feito pela professora, coordenação e direção da instituição de ensino. Conforme Cristina, além do corte do cabelo, a adolescente pegou a carteirinha da filha e jogou ‘fora’.

Nesta terça-feira (16), Cristina prestou depoimento na Delegacia de Pedras Grandes. Ela estava acompanhada do presidente estadual do grupo Novo Impulso, Paulo César Lopes, e das advogadas Alice Reis OAB/SC 53.536 e Letícia Favarin OAB/SC 54.566. De acordo com Alice, as profissionais junto com a família, estão providenciando todas as medidas judiciais e psicológicas cabíveis, resguardando toda e qualquer exposição das meninas envolvidas. A suposta vítima está muito abalada e desta forma, todos estão preservando e priorizando a saúde mental das garotas.

As advogadas foram também até a unidade de ensino. Segundo elas, a menina que sofreu a agressão não tem ido à instituição de ensino. O Notisul não conseguiu contato com a família da adolescente que supostamente cometeu o ato. No entanto, há a informação que os familiares também foram à Delegacia de Polícia e prestaram depoimento. O Portal Notisul buscou contato com a Secretaria de Estado da Educação (SED) que em nota se manifestou sobre o caso ocorrido em Pedras Grandes.

Nota de Esclarecimento

A Secretaria de Estado da Educação (SED), por meio da Coordenadoria Regional de Educação de Tubarão, esclarece que está ciente e tomando providências em relação à denúncia de racismo envolvendo estudantes de uma escola da região.

A partir da atuação de seu Núcleo de Educação, Prevenção, Atenção e Atendimento às Violências na Escola (NEPRE), a secretaria orienta a coordenadoria regional e a equipe gestora da unidade escolar para que tomem todas as medidas administrativas e pedagógicas cabíveis diante do caso. Também garante todo apoio à vítima e preservação
da identidade dos envolvidos.

A SED reafirma seu dever de assegurar e aperfeiçoar os instrumentos para atingir a justiça social e o compromisso com a diversidade como princípio formativo. Por meio de um Acordo de Cooperação Técnico-Científica firmado com a UDESC, a secretaria está estabelecendo ações básicas para a formação continuada de professores e servidores da
rede estadual de ensino sobre as relações Étnico-Raciais, com base no conteúdo das leis 10.639/03 e 11.645/08.

A SED lamenta e repudia qualquer conduta discriminatória ou preconceituosa e reforça que preza por um ambiente escolar inclusivo e acolhedor, trabalhando para promover uma Educação Básica orientada para os direitos humanos e a igualdade racial.

Entre em nosso canal do Telegram e receba informações diárias, inclusive aos finais de semana. Acesse o link e fique por dentro: https://t.me/lagunainfoco

Comments

comments