Festa clandestina de estudantes da Medicina reúne 70 pessoas em Criciúma

579

Após receber denúncias, a Polícia Militar foi ao local do evento, em um galpão, localizado no bairro Morro Estevão

Em mais um final de semana de desrespeito às medidas restritivas contra Covid-19, uma festa com 70 pessoas foi organizada por estudantes de Medicina no sábado (17), em Criciúma, no Sul de SC. Após receber denúncias, a Polícia Militar foi ao local do evento, em um galpão, localizado no bairro Morro Estevão.

Segundo o Comandante do 9° Batalhão da Polícia Militar de Criciúma, Sandi Sartor, quando a guarnição chegou ao local, o evento já havia encerrado. Porém, depois de abordar pessoas que estavam na festa, a PM confirmou que o evento havia sido organizado por acadêmicos de Medicina. 

A polícia também teve acesso a listas de convidados divulgadas nas redes sociais que mostram que os organizadores seriam da Universidade do Extremo Sul Catarinense (Unesc). 

— As guarnições da Polícia Militar foram até o local, de difícil acesso, bem isolado, e quando estavam chegando ao local conseguiram abordar dois jovens que estavam saindo da festa. Ambos confirmaram. Não souberam dizer quem era os organizadores, mas que seria uma festa organizada pelos acadêmicos de Medicina — declarou o comandante. 

Universidade se manifesta

Diante da situação, a Unesc se manifestou nas redes sociais por meio de uma nota oficial assinada pela Reitoria. A universidade reitorou que adota todos os protocolos de segurança dentro do campus, mas destacou que “não tem governabilidade sobre as ações de sua comunidade acadêmica em espaços não acadêmicos e lamenta profundamente o ocorrido”. 

A Atlética Acadêmica de Medicina da Unesc também publicou uma nota de repúdio nas redes sociais, destacando que “em nada teve a ver com o ocorrido da noite passada, e muito menos com a organização de tal”. Mas pediu desculpas pelo ocorrido.

Veja a nota na íntegra: 

“Diante da situação, é lamentável que nós, como uma Atlética Acadêmica de medicina tenhamos que fazer esse tipo de declaração, em meio ao caos em que nos encontramos. A AAAMON em nada teve a ver com o ocorrido da noite passada, e muito menos com a organização de tal. Porém, entendemos a representatividade que carregamos e, desta forma, repudiamos qualquer situação semelhante.

Por favor fiquem em casa, e preservem não só suas vidas, mas a de todos ao seu redor. Houve desrespeito com familiares, colegas de profissão, pessoas da própria medicina que lutam pela vacina, a sociedade, todas as vítimas fatais e familiares destas. Desde já, pedimos desculpas a todas essas pessoas, por mais uma festa clandestina que —infelizmente — ocorreu. Nós somos representantes do futuro da saúde e o ato de ontem foi infeliz, irresponsável e imprudente. As medidas cabíveis serão tomadas!”.

Com informações do NSCTotal

Comments

comments