Vereador de Laguna se envolve em polêmica, é agredido e acaba na delegacia

1329

Caso foi registrado na tarde desta quinta-feira, 19, em frente à delegacia de Laguna. Agressor do parlamentar chegou a ser levado à cela, mas foi liberado.

Após se envolver em uma polêmica que tomou conta das conversas de aplicativos e redes sociais, no final da tarde desta quinta-feira, 19, o vereador e vice-presidente da Câmara, Osmar Vieira (PSDB), terminou com um registro de boletim de ocorrência na Delegacia de Polícia Civil da cidade por agressão, ameaça e difamação.

Segundo apurado pelo Portal Agora Laguna, a confusão iniciou com uma perseguição na rodovia A-101F (antiga SC-436), quando um homem em uma moto estaria seguindo o edil por suspeita de traição. Ao perceber, segundo o advogado de defesa, em nota à nossa redação, ele retornou, acessando o pátio da delegacia onde teria sido agredido com socos e com capacete.

Em contato com a delegada responsável pelo caso, Carolina Quintana Guedes, ela explica que não foi realizado o flagrante. “Entendi que a natureza da lesão corporal, que foi vítima o vereador, não restou configurada se grave ou leve. E, segundo normas jurídicas, caberá flagrante/ou inquérito ou termo circunstanciado”, disse.

Vieira será encaminhado na sexta-feira, 20, ao Instituto Geral de Perícias (IGP), para a confecção de um laudo pericial para comprovar o grau de lesão sofrida, tão logo seja emitida uma guia para o procedimento. “Quando retornar o laudo, vou instaurar inquérito ou um termo circunstanciado. Além disso vou apurar a ameaça em relação ao agressor e outras providências que ainda serão tomadas pela delegacia”, finaliza.

Em um vídeo gravado dentro da cela pelo homem que teria agredido o parlamentar, ele afirma: “Estou preso porque peguei o Osmar do Gás, e quebrei a cara dele […] peguei os dois juntinhos passeando. Enchi ele de porrada. […] Quer comer tudo, mas não sabe”. O homem foi liberado horas depois.

Já a mulher, segundo a delegada, havia solicitado medida protetiva no dia anterior à Delegacia de Proteção ao Adolescente, Mulher, Criança e Idoso (Dpcami). Mas o companheiro ainda não havia sido intimado sobre as medidas, o que passa a valer a partir do caso desta quinta, quando o oficial de justiça realizou o procedimento ainda na delegacia. A reportagem não conseguiu entrar em contato com a envolvida.

O que dizem os envolvidos
Vereador Osmar Vieira
A versão dos fatos pela visão do vereador do PSDB foi repassada à reportagem pelo advogado de defesa, Breno Schiefler Bento. De acordo com ele, a assessoria parlamentar foi procurada há alguns dias pela mulher envolvida no fato, que mencionou precisar de um advogado para auxiliar em um processo de divórcio.

O parlamentar foi quem atendeu a mulher, explicando que não haveria serviço disponível para esse caso na Câmara, mas que a levaria até a cidade de Tubarão para que fosse atendida por um advogado de confiança. “No caminho para Tubarão, na BR-101, o vereador foi surpreendido por uma moto colada no carro dela [com o condutor] proferindo e fazendo diversos gestos”, afirma o advogado.

Conforme Bento, na primeira oportunidade que teve, o vereador retornou à Laguna e se dirigiu à delegacia, com a moto seguindo até o local. “No momento em que desceu do carro, ele foi atingido com uma ‘capacetada’ [sic] no rosto, causando alguns ferimentos […] na tentativa de cessar o ataque covarde, o vereador Osmar Vieira imobilizou o agressor e chamou por socorro, e nesse momento os policiais civis saíram da delegacia e fizeram a prisão do agressor”.

O advogado finaliza o posicionamento do edil acrescentando que ele foi encaminhado ao hospital de Laguna para tratar dos ferimentos causados na face e que Osmar Vieira não tem envolvimento com a mulher que o procurou no gabinete, negando veementemente qualquer relacionamento extraconjugal.

Homem apontado como agressor
A reportagem procurou o homem, de 50 anos, apontado como agressor do parlamentar, que não quis se identificar. Ele confirmou que agrediu o vereador, após perceber ameaça por parte de Vieira.

A situação, relata, começou depois de observar mudanças no comportamento de sua companheira. “Ela tinha mudado em casa comigo e notei que estava acontecendo alguma coisa, daí comecei a procurar, investigar e peguei [os dois juntos]. Ele diz que foi levar ela em Tubarão, mas é mentira, por que eu fui passear na praia e vi a moto dela encostada na caminhonete dele. Mas fui deixando… Hoje, ele veio, parou na frente da minha casa, pegou ela e os dois saíram. Peguei minha moto, fui atrás e deu aquilo ali”, conta, confirmando que seguiu o veículo em que estariam vereador e mulher.

Apesar de toda a situação, o homem afirma que “agora a situação está resolvida. O que era para ser resolvido já foi”. “A ansiedade é de saber o que está acontecendo, mas depois que você sab

Fonte: Agora Laguna

Comments

comments