TRE divulga últimas orientações ao eleitor para as eleições de 7 de outubro

1299

Mais de 5 milhões de catarinenses estão aptos a ir às urnas

O presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-SC), desembargador Ricardo Roesler, concedeu entrevista coletiva à imprensa na sexta-feira (28), na sede do tribunal, para falar sobre os preparativos finais das eleições de 2018 no estado. Além de repassar informações importantes ao eleitor sobre os temas relacionados à eleição, Roesler solicitou apoio para garantir a tranquilidade no período eleitoral.

“É muito importante manter os ânimos serenados, uma vez que a disputa acirrada tem se dado não apenas entre os candidatos, mas também entre os eleitores”, frisou o desembargador. Ele reconheceu que a campanha eleitoral está ocorrendo em um ambiente polarizado, de exacerbações ideológicas e intolerâncias, por isso a ação articulada dos poderes é de suma importância para garantir a harmonia do processo. Um comitê de segurança envolvendo todos os agentes de estado e a Polícia Federal foi composto para planejar ações de inteligência e manter a ordem durante as eleições.

Mais de 5 milhões de catarinenses estão aptos a ir às urnas no dia 7 de outubro – no Brasil inteiro são 147 milhões de eleitores. Cerca de 75% dos eleitores catarinenses serão identificados com biometria.

A eleição iniciará às 8h da manhã e terminará às 17h. O eleitor votará em seis candidatos, por isso o voto poderá ser mais demorado este ano (estimativa de até 2 minutos).  A recomendação é que o eleitor compareça com antecedência para evitar filas nas seções eleitorais. Caso haja filas às 17 horas, serão disponibilizadas senhas, como já é tradição.

Pela ordem, o eleitor votará primeiro para deputado federal (4 dígitos), depois para deputado estadual (5 dígitos), em dois senadores (três dígitos), governador (2 dígitos) e presidente (2 dígitos). “A ordem de votação é outra situação importante para esclarecer porque não foi definida pela Justiça Eleitoral. A ordem de votação foi disponibilizada por decisão do Congresso Nacional, talvez para privilegiar a votação proporcional”, explicou o presidente do TRE-SC.

Na votação para senador, o eleitor deve digitar dois números (de três dígitos) diferentes. Caso vote duas vezes no mesmo senador, o segundo voto será anulado. E não existe voto de legenda para escolha de senador.

Rezoneamento e títulos cancelados

Em função de rezoneamento realizado, muitos eleitores tiveram seus locais de votação alterados este ano. A recomendação é que os eleitores consultem o seu local de votação no site do TRE, na aba Título e Local de Votação.

Mais de 125 mil títulos de eleitor foram cancelados em dezembro do ano passado em função do processo de revisão eleitoral ocorrido em mais de 60 municípios. “A revisão é uma prática comum e necessária, ocorrendo sempre em anos não eleitorais, com o objetivo de limpar o cadastro, eliminando pessoas falecidas, eleitores que não comprovam o vínculo com os municípios onde votam, suspeições de fraude e cassações de direitos políticos (por ações e condenações)”, explicou Roesler.

E-título e outros aplicativos

Todos os eleitores que fizeram o recadastramento e estão biometrizados poderão baixar o título de eleitor digital, que substitui a apresentação do título em papel. Caso o eleitor não disponha do título impresso (com biometria) nem do e-título, poderá votar apresentando um documento oficial de identidade com foto.

Em caso de qualquer dúvida, os eleitores poderão recorrer ao Disk Eleitor, pelo telefone 08006473888. Ao todo, a Justiça Eleitoral Seis aplicativos que podem ser baixados pelos cidadão:  E-título (título digital); Mesários (com informações para quem vai trabalhar nas eleições); Pardal (para denunciar irregularidades); JE Processos (consulta de processos que estão tramitando na Justiça Eleitoral); Boletim na Mão (para consultar boletins de urnas emitidos após a eleição); Resultados (permite acompanhar a apuração do resultado da eleição).

Votação paralela

A votação paralela ocorrerá ao mesmo tempo em que a eleição e servirá para comprovar que o voto inserido no sistema é o mesmo registrado na urna. Esse processo será monitorado por câmeras e auditores externos. As quatro urnas utilizadas na votação paralela serão sorteadas, aleatoriamente, no sábado. Depois essas urnas serão trazidas para Florianópolis e auditadas no domingo, dia 7, no Tribunal de Contas da União. 

Voto em branco e nulo

A título de esclarecimento, o desembargador Ricardo Roesler também abordou durante a coletiva o mito de que o voto em branco ou nulo tem o poder de anular as eleições. “Ambos não são votos válidos. O único reflexo que podem trazer é a diminuição do número de votos que um candidato precisa para se eleger, pois só os votos válidos serão contabilizados.”

Candidato sub judice

O candidato que teve a candidatura indeferida, mas está com recurso pendente aparecerá na urna, bem como sua votação aparecerá nos boletins de urna. Contudo, os votos dele serão totalizados em separado e poderão ser anulados, caso haja uma decisão final contrária à candidatura.

Divulgação dos resultados

A divulgação dos números começará assim que o TRE receber os primeiros resultados dos locais de votação. Já a divulgação dos primeiros números para o cargo de presidente ocorrerá somente a partir das 19h, quando for encerrada a votação do Acre, já que existem duas horas de diferença nos fusos horários no país.

Sobre a expectativa de prazo de fechamento dos números, Roesler afirmou que não interessa ao estado competir para ser o primeiro a fechar os números. “A eficiência nos interessa, mas não há pressa. Queremos acima de tudo uma eleição segura e eficiente”, disse. Tradicionalmente, o estado tem concluído a apuração no intervalo entre 20h e 21h.

Fonte: Com informações da Agência Alesc

Comments

comments