segunda-feira, fevereiro 18, 2019
Home Colunas Não Categorize Pessoas, Abrace-as

Não Categorize Pessoas, Abrace-as

5667

Não é de hoje que as animações tentam trazer assuntos sérios camuflados em histórias empolgantes. Todo ano temos alguma animação ganhando um prêmio importante, ou se tornando o centro das atenções. E uma dessas franquias, que explodiu no início dos anos 2000, foi Shrek. 

No segundo filme da franquia Shrek, vemos o encontro entre os habitantes do reino “Tão, tão distante” e os Ogros do pântano: Shrek e Fiona. É interessante saber que as pessoas desse reino estavam muito ansiosas por receberem a filha do Rei (Fiona) novamente. Mas tudo parece mudar quando o povo enxerga “Ogros” e não “príncipes”.  

Todos olham com desconfiança e desprezo para os dois. E tudo isso porque a aparência de Shrek e Fiona não se enquadra no “padrão” dos príncipes. Tudo bem, estamos falando de um conto de fadas com seres que não existem na vida real. Mas o preconceito e os padrões existem. 

A sociedade de hoje quer implantar um certo tipo de padrão em que você precisa ter um cabelo tal, um estilo tal, um corpo tal, sendo que o único “tal” que existe é o tal como Ele! Veja o que diz Romanos 8:29a: 

“Pois aqueles que de antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à imagem de seu Filho.” 

O único padrão que existe sobre a sua vida é o de Cristo. Um padrão em que todos que querem ser amados se encaixam. Um padrão em que todos que querem ser salvos das suas angústias se encaixam. Um padrão que te torna filho de Deus.  

Em uma das cenas de Shrek 2, a Fada Madrinha diz que os Ogros não vivem felizes para sempre. E é isso que os padrões querem que você pense. Que você não será feliz se não seguir a onda dos demais, se não for igual ao desejo da sociedade. Mas não é isso que Cristo tem para você. Ele escreveu uma linda história que não vai apenas te dar um final feliz, mas que vai ajudar você a levar esse final feliz para outras pessoas. 

Nesse exato momento existem milhares de pessoas sofrendo por não estarem nesse padrão social. Ou que estão vivendo dentro de uma categoria para agradar os outros. Alguns estão pensando em se matar – isso se já não tentaram – Mas o que fazer quando encontramos pessoas que estão sofrendo dessa forma? O que fazer quando a angústia já está a sufocando? Abrace-a. 

No momento em que o mundo estava se perdendo no pecado e na dor, Cristo veio e o abraçou. O seu abraço trouxe sossego aos corações chorosos. Seu abraço custou sua própria vida. Se Jesus negou quem ele era por nós, por que não podemos negar quem nós não somos por ele?  

Padrões sociais são uma mentira sobre a sua vida pelo simples fato de que você não nasceu para ser parecido com a sociedade, mas com Cristo. Ame quem Deus te desenhou pra ser. Abrace essa verdade. O abraço de Cristo uniu o mundo ao céu e o homem a Deus. E o seu abraço naqueles que sofrem, pode uni-los ao padrão que Jesus oferece: o amor. 

avatar

Matheus Simplicio

Matheus Simplício é líder do ministério F5 Laguna e um apaixonado por livros, histórias e cinema. Escreve sobre cultura pop e assuntos do cotidiano através da visão cristã. Faz parte da membresia da igreja A verdade que liberta, a qual serve e ama.

Comments

comments