segunda-feira, fevereiro 18, 2019
Home Colunas Eric Clapton – Quando a Dor se Transforma em Esperança

Eric Clapton – Quando a Dor se Transforma em Esperança

8497

A década de noventa foi um prato cheio para os amantes da música. Muitas bandas foram reveladas e muitas bandas da década passada chegaram ao seu ápice. Reza a lenda que os festivais de rock dessa época eram muito melhores porque eles tinham algo que os festivais de hoje não têm: rock. E um dos guitarristas mais influentes dessa época era Eric Clapton (Foto acima).  

No ano de 1993, ele lança uma música chamada “Tears in Heaven” (Lágrimas no céu), que se tornou uma das músicas mais tocadas do momento. Além disso, ele ainda foi muito bem no Grammy daquele ano, ganhando os prêmios de Melhor Performance Vocal Pop Masculina, Gravação do Ano e Música do Ano. Eric Clapton conseguiu esses grandes resultados não só porque ele é talentoso, mas porque esta música revela uma parte muito triste da sua vida. 

Dois anos antes dessas premiações, seu filho Conor, com apenas quatro anos de idade, cai da janela de um apartamento no quadragésimo nono andar. E essa canção tão premiada, é para Conor. Em um dos versos Eric canta: “Eu devo ser forte e seguir em frente; porque eu sei que não posso ficar aqui no céu”.  Ele realmente não poderia ficar com seu filho no céu. Mas fez da sua dor uma linda música.  

No antigo testamento, vemos vários salmistas que estão passando por momentos angustiantes. E o que eles fazem com esses sentimentos ruins? Poemas. Poesias. Cânticos de louvor. O próprio Rei Davi é um excelente poeta. Ele conseguia expressar as suas dúvidas e medos se refugiando em Deus. Leia o Salmo 22:1-3: 

Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste? Por que estás tão longe de salvar-me, tão longe dos meus gritos de angústia? 
Meu Deus! Eu clamo de dia, mas não respondes; de noite, e não recebo alívio! 
Tu, porém, és o Santo, és rei, és o louvor de Israel 

Davi escreve, aparentemente, em um momento de solidão e sem esperança. O “homem segundo o coração de Deus” também tinha momentos de fraqueza e dor. Mas o que precisamos entender é que, expressar a nossa dor para Deus não vai apenas tirar um peso de nossas costas, mas vai nos ajudar, também, a tirar um peso das costas de outros. 

Nos últimos momentos de Jesus na Cruz, ele se percebe completamente sozinho. Sua única companhia era o pecado dos homens. O sofrimento começa a tomar conta do corpo e da alma de Cristo, e é justamente nesse momento que lemos Mateus 27:46: “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?”  

Aquele lindo poema de Davi serviu para que Jesus expressasse a sua dor.  E é isso que o refúgio em Deus faz, ela ajuda pessoas a passarem por aquilo que você já passou. Quantos pais foram consolados pela música de Eric Clapton após a perda de um filho? Quantas pessoas foram consoladas após lerem um Salmo como esse de Davi? Quantas pessoas podem ser consoladas após ouvirem o seu testemunho de como você venceu a dor, leitor? 

A esperança das pessoas está escondida atrás da sua fé diante do sofrimento. Assim como a fé de Cristo diante da cruz trouxe esperança aos seus discípulos, você também pode trazer e inspirar fé. Seu sofrimento pode soar como uma linda canção de esperança aos ouvidos daqueles que estão angustiados. 

Talvez você não seja um grande poeta como Davi ou um grande compositor como Eric Clapton. Mas existe uma história dentro de você que precisa ser contada àqueles que sofrem pois, talvez, você seja o próximo parágrafo da vida de um outro. O sofrimento faz parte da nossa vida, mas assim como diz na música Tears in Heaven: nos céus não haverá mais lágrimas. 

avatar

Matheus Simplicio

Matheus Simplício é líder do ministério F5 Laguna e um apaixonado por livros, histórias e cinema. Escreve sobre cultura pop e assuntos do cotidiano através da visão cristã. Faz parte da membresia da igreja A verdade que liberta, a qual serve e ama.

Comments

comments