quarta-feira, dezembro 11, 2019
Home Notícias Geral Em SP: Criança com duas cabeças nasce na Santa Casa de Fernandópolis

Em SP: Criança com duas cabeças nasce na Santa Casa de Fernandópolis

795

A instituição registrou pela primeira vez o caso raro. Em 2017, um menino (foto) nasceu com duas cabeças em Ciudade Juárez. A malformação foi diagnosticada na gestação – bebê tem dois corações e quatro pulmões. O recém-nascido difere de gêmeos siameses, que têm corpos distintos e órgãos independentes, mas unidos em algum ponto. Neste caso, mais incomum, só há um corpo.

Segundo o site região Noroeste, a malformação foi diagnosticada ainda durante a gestação da jovem de 21 anos. Durante os exames de pré-natal foi analisado que o bebê teria dois corações e quatro pulmões.

O caso raro ocorrido na terça-feira (25) chamou atenção do corpo clínico que realizou o parto. A menina foi transferida para o Hospital de Base de São José do Rio Preto onde recebe cuidados especiais. 

A assessoria de imprensa da Santa Casa de Fernandópolis vai emitir nota oficial sobre o nascimento das gêmeas siamesas. De acordo com o médico Julio Leite, coordenador do Programa de Monitoramento de Defeitos Congênitos do Hospital de Clínicas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), casos como este podem ser chamado de gemelaridade imperfeita, quando há problemas na divisão das células durante o período de formação do embrião. “No Brasil o registro desse tipo de malformação é de um caso para cada 100 mil habitantes”, explicou.

Em 2017, o caso de um bebê com duas cabeças foi registrado em Cuidade Juárez (estado de Chihuahua, México), segundo informou o Instituto de Seguro Social Mexicano (IMSS), citado pelo jornal “La Prensa”.

Não foram divulgados a identidade dos pais e o nome do bebê. O recém-nascido difere de gêmeos siameses tradicionais, que têm corpos distintos e órgãos geralmente independentes, mas unidos em algum ponto. Neste caso, mais incomum, só há um corpo.

A anomalia se deve a um problema no desenvolvimento embrionário de gêmeos, que acabaram sendo “fundidos”. 

Fonte: Hojemais.com.br/Terra/Blog do Fernando Moreira

Comments

comments