Dia histórico na Serra: Anita Garibaldi é a primeira cidade a ter a Rosa de Anita

369

Cidade que leva o nome da heroína recebeu visita da descendente direta da catarinense que lutou na Revolução Farroupilha e na Reunificação Italiana

Anita Garibaldi viveu nesta quinta-feira, 13, um momento único. A cidade, que leva o nome da Heroína dos Dois Mundos, recebeu a visita da descendente direta da catarinense que plantou o primeiro exemplar da Rosa de Anita na Serra catarinense.

Annita Garibaldi, a bisneta, está no Brasil desde o dia 8 de fevereiro, participando de eventos e reuniões referentes ao projeto que comemora o bicentenário de nascimento da catarinense que entrou para a história como a Heroína dos Dois Mundos.

A visita movimentou a cidade serrana por completo, desde autoridades à própria população que acompanhou atentamente os diversos eventos realizados durante todo o dia. “Estou muito feliz por estar aqui, principalmente por ver tantas crianças aqui reunidas e carregando Anita no coração. Gostei muito da cidade, é muito organizada e bonita”, disse Annita, em seu discurso.

O plantio da rosa marca o ingresso dos anitenses no projeto Dois Mundos e Uma Rosa para Anita. “A gente não imaginava que teríamos crescimento e uma adesão tão rápida e espontânea como foi a de Anita Garibaldi ao projeto”, comemorou o diretor do CulturAnita, Adilcio Cadorin. Além do instituto, a Fundação Catarinense de Cultura (FCC) acompanhou o evento.

“Tenho certeza que esse dia vai ficar na história da cidade, pela importância que Anita tem para nosso município”, discursou o prefeito de Anita Garibaldi, João Cidinei da Silva.

Para receber a descendente da heroína, o município organizou apresentações culturais com artistas locais, visita as margens do rio Canoas – onde foi inaugurado o marco histórico com registro do local em que Anita atravessou o rio a nado após a fuga de Curitibanos –, ato solene na Câmara de Vereadores entre outras atividades.

Sobre a Rosa de Anita

O híbrido-símbolo das comemorações foi criado pelo botânico italiano Giulio Pantoli (morto em 2018), que se inspirou na figura de Anita Garibaldi para desenvolver a rosa.

Na Itália, os direitos de reprodução da rosa estão com o Museu Renzi, que franqueou autorização para que o CulturAnita pudesse clonar e distribuir o híbrido no Brasil e na América do Sul.

Os brotos foram trazidos no final de 2018 para o Brasil e adaptadas à realidade climática do país pelo botânico Leonardo Borges, de Laguna. Em agosto, foram iniciados os plantios das primeiras rosas geradas em Imbituba, Laguna e Tubarão.

Sobre o projeto do bicentenário

O projeto prevê a realização de eventos em todas as cidades catarinense, gaúchas, uruguaias, italianas e de San Marino, que têm relação com a trajetória de Anita Garibaldi, a Heroína dos Dois Mundos. Até 2021, a ideia é que sejam realizados eventos comemorando a memória da personagem histórica nascida em 1821.

A iniciativa decorre de um convênio internacional celebrado entre o Museu Renzi, de Borghi (Itália), que é representado por Andrea Antonioli e Gianpaulo Grilli e o Instituto Cultural Anita Garibaldi (CulturAnita) de Laguna (Brasil), representado por Leo Felipe Nunes e Adilcio Cadorin.

Comments

comments