De luto, mamãe boto não se afasta de filhote, no mar em Laguna

2036

Pesquisadores tentam investigar a causa da morte, mas toda vez que alguém se aproxima a mamãe puxa o filhote para dentro da água na tentativa de escondê-lo

Pesquisadores do Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos (PMP-BS) e de agentes da Polícia Militar Ambiental, tentam se aproximar de um filhote de boto que apareceu morto no mar em Laguna, ontem próximo aos molhes da Barra. É o segundo nesta semana. 

De acordo com os pesquisadores a ideia é investigar a causa da morte, porém, a mamãe boto está em processo de luto e não deixa ninguém chegar perto. Toda vez que alguém se aproxima ela puxa o filhote para dentro da água na tentativa de escondê-lo.

O professor da Udesc Laguna, Pedro Castilho, coordenador do PMP-BS, explica que os especialistas correm contra o tempo: “quanto mais o tempo passa mais os tecidos se degradam e a qualidade das análises ficam prejudicadas”.

Os pesquisadores estão monitorando o filhote e mãe e dependendo da resposta comportamental dela, a equipe os deixarão sozinhos, sem intervenção. Segundo o PMP-BS, o boto, que havia sido registrado como o sexto nascimento da espécie Tursiops truncatus, agora é contabilizado como a nona morte em Laguna, que detém o título de “Capital Nacional do Boto-Pescador”.

Comments

comments