Cinco pessoas são detidas por torturar e sequestrar família em Criciúma

1257
Câmeras de segurança flagram momento em que mulher chega ao banco no carro com criminosos para sacar dinheiro

Polícia Civil elucida caso e aponta dois homens mais três adolescentes como responsáveis pelo crime

Todos os suspeitos de terem sequestrado e torturado a família de um empresário em Criciúma foram detidos pela Divisão de Investigação Criminal – DIC da Polícia Civil – PC do município. As investigações chegaram ao fim ontem, após o último envolvido ser preso preventivamente. O crime ocorreu em julho deste ano.

Conforme o delegado Yuri Miqueluzzi, responsável pela investigação, cinco criminosos foram identificados como autores do crime, entre eles, dois adultos de 38 e 26 anos, e três adolescentes de 17 e dois de 16 anos. “Todos eles já tinham passagem policial”, ressalta. As prisões são preventivas, até o julgamento dos mesmos.

O delegado ainda explica que o crime foi planejado de forma premeditada, inclusive, com certa organização. Para chegar aos responsáveis, a Polícia Civil, em forte parceria com o Instituto Geral de Perícias – IGP, investigou um conjunto de elementos. “As primeiras pistas, nós encontramos nos dois veículos utilizados no sequestro. Um deles, que era da vítima, estava abandonado no bairro Cristo Redentor”, informa.

Imagens capturadas por câmeras de segurança também foram cruciais para identificar os autores do crime.

Relembre o caso

O ato criminoso iniciou por volta das 7 horas, do dia 30 de julho. Conforme o delegado, a quadrilha chegou à residência a fim de furtar objetos de alto valor. Eles renderam dois funcionários, o empresário do ramo de construção civil, de 82 anos, e a esposa, de 78. “Como eles não encontraram o que queriam, ameaçaram e torturaram o casal”, detalha.

Os bandidos reviraram a casa em busca de um cofre e acabaram fugindo com o Jetta das vítimas e alguns itens de valor. Na fuga, eles levaram junto a mulher do empresário. Por aproximadamente quatro horas, a família viveu momentos de terror. Assim que os criminosos tiraram a vítima da casa, eles a levaram a uma agência bancária, a fim de que ela sacasse uma alta quantia em dinheiro.

Contudo, ela não conseguiu sacar muito mais do que R$ 1 mil. Os criminosos voltaram então para a casa e saíram com o empresário para que ele conseguisse o valor total. Para garantir que a vítima cumpriria sua parte do combinado, eles continuaram a fugir com a mulher e a libertaram somente no final da manhã na SC-108, nas proximidades do Mampituba. Na sequência fugiram com o carro, que foi encontrado durante a tarde no bairro Cristo Redentor.

Com informações do Portal DNSul

Comments

comments