Após anos de espera, escola Ana Gondin inicia ano letivo em prédio novo

411

Edificação nova tem três andares e foi construída depois do antigo prédio ter sido interditado.

A comunidade escolar do Ana Gondin, tradicional escola localizada no bairro Magalhães, entra em 2020 com novidades. O início do ano letivo na próxima segunda-feira, 10, marca também a estreia dos estudantes no novo prédio da escola, feito pelo Estado.

As obras eram aguardadas há décadas pela escola e a intenção de fazer um novo prédio começou a ser estudada em 2014, logo após a antiga estrutura – de 1935 – ter sido desocupado quando o Ministério Público requereu sua interdição. Os trabalhos só iniciaram em setembro de 2016, com a assinatura oficial do contrato, e custaram aos cofres públicos mais de R$ 7 milhões.

A escola foi contemplada com um prédio novo de três andares. A edificação tem espaço funcional, com com rampas, elevador, piso tátil e banheiros acessíveis e contempla a construção de 16 salas de aula, laboratórios, biblioteca, sala de vídeo, refeitório, cozinha, área administrativa completa, um ginásio de esportes, vestiários e ainda área urbanizada de 5.172,00 m2.

“Foram seis anos aguardando a concretização desse sonho e chegou o grande dia. Temos uma escola totalmente acessível, que congrega todas as exigências que há na construção de um prédio atual. Estamos felizes e ansiosos para iniciar as atividades em nossa tão sonha escola”, resume a diretora da escola, Lilian dos Reis Silva.

Entre o fim de janeiro e início deste mês, o Ana Gondin recebeu o novo mobiliário adquirido pelo Estado. Apesar do início do ano letivo ser feito já no dia 10, a inauguração oficial da estrutura será realizada após o Carnaval, em cerimônia solene.

Sobre a escola Ana GondinA unidade foi criada em 19 de abril de 1935, para atender o bairro Magalhães. Iniciou com cinco salas de aula, uma secretaria, uma sala de direção e outra para educação física, pátio coberto onde funcionavam cozinha e banheiros e uma biblioteca simples.

Três décadas depois, em 1967, o prédio foi ampliado pela primeira vez. Em 1972 de grupo escolar passou a ser uma escola básica, com aumento de número de alunos, que chegava a cerca de 700 na época.

A segunda reforma foi no ano de 1981 com mais dois banheiros, salas de aulas e um espaço para atuação de odontólogo. Quatro anos depois passa a oferecer pré-escolar e no ano de 1992 se torna Colégio Estadual Ana Gondin, já oferecendo ensino médio. Em 1993, são construídas mais duas salas de aula, dois módulos para o pré-escolar e uma sala aos professores. O espaço físico foi ampliado em 1995.

O novo milênio começou com a mudança de nome para a denominação atual: Escola de Educação Básica Ana Gondin. Em 2002 deixa de oferecer o ensino médio, que retornou só em 2004. O colégio atende atualmente cerca de 700 estudantes.

Quem foi a professora Ana do Amaral Gondin

O nome da escola é uma homenagem à professora Ana do Amaral Gondin, que nasceu em São José em 1853 e morreu em Laguna no ano de 1931. Ana se tornou professora aos 40 anos e se aposentou após três décadas de ensino em 1923.

Começou a trabalhar em Pedras Grandes, passou por Jaguaruna e encerrou a carreira em Laguna, onde montou escola inicialmente na região da praça Sousa França e após na rua Custódio Bessa e por fim na Voluntário Carpes.

O nome foi uma sugestão do jornalista José Duarte Freitas, proprietário do extinto jornal Sul do Estado e que chegou a ocupar o cargo de prefeito na condição interina por algumas oportunidades nos anos 1960, quando era secretário-geral, já que não existia a figura de vice naquela época.

Fonte: Portal Agora Laguna

Comments

comments